Periodontite por que acontece?

O que é doença de gengiva e quando procurar tratamento?
O paciente deve ter em mente que enquanto a lesão está restrita à gengiva, ou gengivite, ela é facilmente tratável, mas é uma enfermidade que não cura espontaneamente, requer tratamento profissional, e quando evolui para a perda das estruturas que estão sob a gengiva, aí já uma periodontite, o problema já começa a ficar mais grave e a ação do dentista, além de remover o irritante, pode ser necessária para corrigir o dano já causado às estruturas que dão suporte aos dentes. .

O que é gengivite?
É uma reação do organismo à irritação da placa bacteriana e seus componentes, e está localizada restritamente na gengiva. Na gengivite ainda não há o comprometimento das estruturas de suporte dos dentes. Nesse caso já teríamos uma periodontite. Na imagem abaixo vemos indicado pela seta azul que as estruturas internas ainda não estão comprometidas. Na imagem animada acima podemos observar a evolução do caso, quando a periodontite se instala e não é tratada.


Como se desenvolve a Periodontite?
Periodonto é a estrutura de suporte e proteção dos dentes, e a doença periodontal, ou periodontite, é a evolução da gengivite, uma condição mais complexa onde já está ocorrendo a perda de parte da estrutura óssea que contorna o dente, lembrando sempre que são essas estruturas que permitem ao dente ficar fixo e estável. Na periodontite já temos uma condição mais complexa, que deverá ser examinada, tratada e acompanhada pelo dentista.

Minha gengiva sangra quando passo fio dental. Não devo usá-lo?
O fio dental deve ser usado, e usado corretamente. Como pode observar neste vídeo, a placa bacteriana se acumula em torno de todo o dente, e o fio deve ser utilizado “abraçando” o dente
para removê-la, com movimentos suaves, de cima para baixo. O fio não serve apenas para remover alimentos impactados entre dentes (veja o próximo tópico), mas para remover a placa causadora da cárie e da periodontite, mas deverá ser utilizado de forma que não machuque também a gengiva. Força em demasia pode ser também um irritante, e isso todo o dia pode causar um dano importante à gengiva. Imagine uma situação: você segurando uma corda e alguém puxando-a com força. Você sofrerá uma irritação devido à forma como isso é feito. O fio na gengiva pode também causar irritação, mas o seu uso é “indispensável”.

E o que ocorre e porque ocorre o sangramento na gengiva?
Como disse anteriormente, bactérias começam a se acumular e aderir ao dente quando não são removidas regularmente com o uso de escova e fio dental. O acúmulo de colônias de bactérias, transformadas já em “placa bacteriana”, causam irritação e uma reação do organismo com o aumento da pressão hidrostática que dilata os vasos sanguíneos da microcirculação local. Ao se dilatarem os vasos ficam mais permeáveis e permitem a saída de fluidos, e entre eles os anticorpos de defesa. O sangue da gengiva é a soma de irritantes e fluidos da reação de defesa do organismo. Então, se há sangramento há irritação, e deve ser removida, porque a ação contínua de defesa do organismo, ineficaz porque o irritante ainda está presente, acabará por destruir o próprio organismo, ou o periodonto.

Mas só percebemos que há problema com o sangramento?
Não, esse é um dos indicativos, mas outras características podem também ser observadas, como uma maior mobilidade dos dentes, que algumas vezes causam até a sua mudança de local (pela perda do suporte); acúmulo de alimentos; gosto ruim localizado quando realiza a higiene com fio dental; cor avermelhada e inchaço na gengiva; perda de gengiva e exposição da raiz dos dentes.

É comum acumular alimentos entre meus dentes. É normal?
Não é normal o acúmulo “irritante” de alimentos. O simples fato de você reparar isso já é um indicativo de que algo está anormal. Na verdade, sempre há um pequeno acúmulo de alimentos entre os dentes, mas quando ele se torna irritante e um incômodo que o obriga a removê-lo, é sinal de que está havendo o que nós dentistas chamamos de impacção alimentar. Esses casos ocorrem devido à falta de contato com os dentes laterais. O normal (ou fisiologicamente normal) é que todo dente tenha um contato com o que está ao seu lado, para evitar essa impacção. Caso não é isso o que ocorre, alimentos mais fibrosos irão penetrar naquele espaço e, impactados, causar uma compressão na gengiva, altamente incômoda e com enorme capacidade de comprometer a região irritada. Isso é um problema comum, muito danoso ao periodonto, mas facilmente resolvido quando tratado corretamente, muitas vezes em uma única sessão.

Fatores de Risco para esta doença.
Embora a placa bacteriana seja a causa primária, existem fatores de risco que podem afetar a saúde das gengivas e aumentar as chances para o desenvolvimento da doença.
Alguns desses fatores são o tabagismo, stress, certos medicamentos, diabete, pobre nutrição, apertamento ou bruxismo dos dentes, alterações hormonais e uma predisposição genética. Exames regulares com um periodontista são especialmente importantes se quaisquer destes fatores de risco estiverem presentes.

Porque não existe um medicamento para tratar a doença de gengiva?
Diversas doenças originadas por micro-organismos agressivos ao ser humano são tratadas com medicamentos que são eficazes na sua eliminação. Mas com a doença periodontal a medicação não consegue eliminar esses micro-organismos que estão aderidos aos dentes, e apenas a sua remoção com raspagem dos dentes possibilita a eliminação do irritante.

Como Prevenir a “doença da gengiva”?
Ela pode ser prevenida com uma cuidadosa higiene dos dentes e realizando exames dentais regulares com o dentista que inclua também o exame periodontal na sua conduta.
Mas escove seus dentes duas vezes por dia, e, caso tenha dúvida se está realizando isso corretamente, procure seu dentista para saber a forma correta. Apenas a escovação e o uso do fio dental são capazes de remover a placa bacteriana que adere aos dentes no seu dia-a-dia. Use apenas escovas com cerdas macias e não se esqueça de usar o fio dental diariamente.
Tenha em mente que apenas enxaguando com água, mesmo com aqueles aparelhos com jatos de água, ou mesmo o uso daqueles líquidos “milagrosos” que vemos na TV, não são capazes de remover a placa bacteriana, que está firmemente aderida ao dente.
Agora, cá entre nós, se você observa que está acumulando tártaro, ou uma matéria esbranquiçada aderida ao dente, de difícil remoção, procure regularmente o seu dentista.